JURA EM PROSA E VERSO

TUDO SOBRE...

TUDO SOBRE GATOS

Os gatos têm em média de 4 a 6 quilos e 80 cm de comprimento, da cabeça ao rabo. Seus corpos são formados por 245 ossos e 517 músculos.

A boca do gato guarda 30 dentes incluindo os caninos, que servem para matar e depois despedaçar a presa. A áspera língua é coberta por sensores de temperatura e gosto, além de ser usada também para a limpeza dos pêlos.

Os gatos são animais curiosos por natureza e adoram brincar com cabos e fios elétricos, alheios ao perigo de levar choques.

Plantas venenosas em casa podem representar um perigo aos felinos. Alguns gatos gostam de mastigar folhas.

Anualmente, os americanos gastam cerca de 4 bilhões de dólares em ração para gatos. Um bilhão a mais do que gastam com comida de bebês!

No Brasil, a expectativa de gastos com um veterinário para seu gato é de cerca de 160 reais por ano, na melhor das hipóteses.

Em toda a vida do seu gato, você deverá gastar algo em torno de 13.500 reais, só com suas necessidades básicas. Nos EUA, são gastos por ano US$ 295 milhões só em areia sanitária.

O gato mais pesado do mundo era Himmy, um gato australiano que chegou a pesar 21 KG em 1986. Sua cintura tinha 84 cm de largura.

Um gato normal pesa em média 4 KG. O recorde anterior era de Ginger, uma gata de Connecticut que pesava 19,5 KG ao morrer em 1977.

O gato mais leve do mundo foi um himalaiano de Illinois, que pesava apenas 800 gramas e media 18,4 cm de comprimento e 7 cm de altura.

A expectativa de vida dos gatos dobrou desde 1930, passando de 8 para 16 anos;

A duração média de vida de um gato que vive dentro de casa é de cerca de 15 anos. Esta média baixa para assustadores de 2 a 5 anos para os gatos que vivem soltos nas ruas.

O gato de vida mais longa já registrado foi o inglês Puss, que morreu em 1939, um dia depois de ter completado seu 36º aniversário. A gata mais idosa foi uma fêmea inglesa rajada que morreu em 1957, aos 34 anos.

Os gatos passam mais de 30% de seu tempo cuidando da beleza. Adoram estar limpos e com o pelo bem assentado.

Para os gatos, a carícia humana assemelha-se a uma lambida, e por isso é tão bem recebida.

Além dos cuidados com o corpo, os gatos também são meticulosos com sua caixinha de areia, e sempre cobrem a sujeira. A preocupação com a higiene é tanta que eles não usam a caixinha se estiver suja.

Diferente dos cães, os gatos tem muito pouco ou nenhum cheiro.

Os gatos têm cerca de 100 sons vocais, enquanto que os cães apenas têm 10.

Por ser um animal do deserto, o gato bebe pouca água e é capaz de concentrar muita urina, necessitando poucas quantidades para sobreviver.

Certos gatos preferem água suja a uma água bem fresca.

Mesmo conservando seu instinto de caçador, o gato doméstico não sabe que sua presa pode ser um alimento.

A maioria dos gatos adora comer plantas e nenhuma explicação científica foi dada sobre o assunto.

Gato não gosta apenas de carne, apesar de ser carnívoro. Ele também necessita de cálcio, vitaminas e minerais para ter uma alimentação equilibrada.

Um gato pode ficar vários dias sem comer se o alimento não lhe agrada e pode até morrer de fome.

Gatos comem lentamente e mastigam bem os alimentos. Ao contrário dos cães, que engolem tudo gulosamente.

Os felinos são grandes dorminhocos. Os gatos chegam a dormir 16 horas por dia, divididas em vários períodos.

Assim como os seres humanos, os gatos roncam desde a primeira semana de vida. Mais tarde, o ronco aparece quando o acariciamos ou lhe oferecemos um alimento que ele goste ou a presença de alguém que lhe agrade.

Cuidados com o seu gato

Quase todos os felídeos são providos de uma capa densa e "apertada" de pêlo suave e impermeável, até certo ponto. Em alguns exemplares o pêlo é longo; em outros, curto mas sempre sedoso e de fina textura. A natureza extremamente pulcra dos gatos faz que estes animais passem grande parte do seu tempo lambendo e limpando o corpo, utilizando a boca e as patinhas como um pente, para conservar o pêlo em perfeito estado. Esta auto-limpeza do felino será, em muitos casos, suficiente para manter uma capa limpa, brilhante e sã.

Carrapatos, piolhos e dípteros da família "Calliphoridae", de moscas que se alimentam de detritos orgânicos em decomposição e, inclusive, de tecidos vivos de animais e seres humanos, produzindo as chamadas "miasis", raramente atacam as partes externas dos gatos domésticos. Os carrapatos que podem pertencer aos gêneros "Hyalomma" e "lxodes" são virtuais exoparasitas dos felinos, mas quase nunca encontraremos sua incomôda presença no nosso animal. Não obstante, se se desse o caso, procederemos a desprendê-los banhando-os com uma gota de gasolina ou picando-os com um alfinete cuja ponta tenha sido esquentada até o vermelho-vivo, com cuidado para não queimar-nos.

Os piolhos, também muito raros, se localizam nos pêlos, aos quais se agarram com suas potentes mandíbulas. A espécie citada sobre gato é "Felícula subrostratus". Portanto, as miasis produzidas por moscas só se apresentam em animais velhos ou doentes que vivem livres. Quando recolhamos algum gato com estas afecções deveremos levá-lo imediatamente ao veterinário, que será quem estabeleça o diagnóstico e terapia correspondentes

As pulgas e acarioses diversas, apesar da quase obsessiva limpeza que os próprios animais e seus donos possam observar, costumam assentar-se com certa freqüência nos gatos domésticos. A pulga do gato não é da espécie comum, pois se trata de "Ctenocephalides catis", que também pode atacar o cão e o homem de maneira eventual. Os gatinhos com pulgas se coçam continuamente e devem ser submetidos a uma limpeza cuidadosa até deixá-los livres de tão incômodos hóspedes. Para isso se coloca o felino sobre um pano branco ou papel grande da mesma cor, e, com um produto inseticida especial para gatos, se esfrega vigorosamente o animal, começando pelo dorso, lombo e seguindo até peito e pescoço, evitando que possa lamber-se durante esta operação.

As pulgas abandonam o corpo do animal caindo sobre o trapo ou papel, que será imediatamente incinerado. Esta desparasitação deve ser repetida vários dias sucessivos. Ácaros diversos como o Demodex cati, Trombicula autunalis e Notoedres cati podem localizar-se nas zonas do pescoço, orelhas e cangote, produzindo uma coceira característica no gatinho, que coça incessantemente essas zonas, na tentativa vã de desembaraçar-se dos incômodos ácaros.

Estes ácaros diminutos podem produzir alterações epidérmicas e inclusive "sarnas cefálicas", como é o caso de Notoedres. O tratamento específico deverá consistir em loções acaricidas especiais para estes animais, que em todo caso serão receitadas pelo veterinário. Sempre se deve ter um cuidado especial na administração de loções ou inseticidas sobre a pele, dado que o gato, ao lamber-se, poderia intoxicar-se com os componentes destas substâncias..

Crendices

O gato, o bichano, é o animal doméstico encontrado em quase todas as casas, usado para pegar ratos e baratas. Sobre o gato existem muitas crendices e curiosidades:

1. Gato-preto: para algumas pessoas o gato preto dá sorte e para outras traz infelicidade;

2. Quem pisa no rabo de um gato não casa no ano, só nos anos seguintes;

3. Dizem que o gato não gosta de seus donos e sim da casa onde ele vive. Assim, quando uma pessoa muda de residência, deve levar o gato dentro de um saco e passar azeite no focinho dele para que ele perca o faro e não volte à antiga casa;

4. O melhor couro para se fazer uma tamborim é o couro do gato, segundo os entendidos no assunto;

5. Dizem que o gato é o animal mais difícil de morrer, porque tem sete fôlegos;

6. Quem mata um gato tem sete anos de azar. Os gatos estão nas estórias de Trancoso, como no Gato de botas, e no desenho animado, como no Gato Félix. Os homens aprenderam com os gatos a fazer fossas, vendo-os cavar um pequeno buraco, para fazerem cocô e cobri-lo com terra;

7. Um estranho gato preto no seu alpendre traz prosperidade;

8. Um gao espirrando é um bom presságio para quem o ouve;

9. Dá azar ver um gato branco à noite;

10. Sonhar com um gato branco significa boa sorte;

11. Quando vir um gato de um olho só, cuspa no seu polegar, bata na palma de sua mão e faça um pedido, pois este se realizará;

12. Um gato dormindo com as quatro patas encolhidas sob o seu corpo significa frente fria chegando;

13. Se um gato está limpando o dorso de suas orelhas, choverá;

14. Um gato preto atravessando o caminho sob a lua significa morte epidêmica;

15. Um gato no topo de um túmulo quer dizer certamente que a alma do falecido enterrado era possuída pelo demônio. Dois gatos vistos brigando perto de uma pessoa morta ou no cemitério logo após o funeral são realmente o demônio e um anjo, lutando pela posse da alma;

16. Ver um gato branco na estrada traz sorte;

17. Se gatos abandonarem a casa, as doenças sempre reinarão lá;

18. Em Netherlands, gatos não são permitidos nas salas onde discussões familiares privadas estão acontecendo, pois os holandeses acreditavam que os gatos definitivamente espalhariam as fofocas por toda a cidade;

19. Quando se mudar para uma nova casa, sempre ponha o gato para dentro através da janela ao invés da porta, pois sendo assim, ele jamais fugirá;

20. Quando a pupila de um gato se dilata, é sinal de chuva;

21. No século XVI, na Itália, acreditava-se que quando um gato preto deitava na cama de um homem doente, este morreria. Mas, há uma crença também em que um gato não permanece dentro de casa quando alguém está para morrer. Entretanto, se a família recusar permanecer lá dentro, isto era considerado como um mau sinal;

22. Um gato tricolor protege a casa contra incêndio.

Como limpar seu gato

Poucos animais domésticos podemos encontrar que necessitem menos cuidados diários a exceção do fornecimento de água e alimento que os divertidos gatos. No entanto, os representantes das raças persa, angora e birmana agradecem o escovamento diário suave, realizado com um instrumento especial flexível que esponja a capa e permite a localização de parasitas ou corpos estranhos.

O esmero na auto-limpeza às vezes pode ser um perigo. Uma loção inseticida ou antiparasitária, borrifada generosamente sobre a pele do gato, não demorará em passar ao estômago graças aos lambidelas que o próprio animal se aplica instintivamente. Este ponto resulta crucial para o proprietário inexperiente, que nunca deve esquecer a inocuidade absoluta que terão as loções ou sabões com que cuide ao seu interessante pupilo.

O banho não deve ser prática usual, e apenas tem que ser empregado quando o animal se tenha sujado muito ou bem a distância no tempo do último mergulho assim o aconselhe. Com um shampoo para bebes, água morna e enxaguando suficientemente se realiza esta operação, que será seguida por um rápido secado efetuado com uma toalha suave e finalizado por um secador elétrico para o cabelo humano.

Os olhos de algumas variedades podem apresentar remelas castanhos, que se limparão com um cotonete para bebes, impregnado com camomila amarga em infusão morna, solução de água boricada ou com água salgaada a razão de 5 gr. De sal grosso dissolvidos num litro de água morna.

Estudo dos gatos (Felinofilia)

Estes carnívoros caçadores, que se distribuem por quase todo o mundo, à exceção do continente australiano, onde foram introduzidas raças domésticas, foram popularizados graças à espécie Felis catus, através das numerosas variedades que hoje em dia integram o conjunto dos gatos domésticos.

Em primeiro lugar, a adaptabilidade destes animaizinhos a qualquer ambiente, assim como as suas escassas necessidades de espaço e a economia das suas exigências, unido à fascinação que a beleza das suas formas e o magnetismo que seu comportamento provoca nos seus proprietários, permitiu a popularidade estável desta espécie.

Como auxiliar do homem podia ter um papel importante no controle de ratas, ratos e outros roedores, de forma que as epidemias de peste e outras doenças similares parecem sofrer brotes importantes depois de campanhas duras e irracionais em contra destes animaizinhos, considerados por diferentes culturas animais sagrados ou, pelo contrário, representações diabólicas relacionadas com as práticas de bruxaria e satanismo.

Nunca indiferença, o gato pode suscitar simpatia ou aversão em graus mais ou menos intensos, mas sempre apaixonando o ânimo a favor ou em contra da sua consideração como animal de companhia.

As faculdades físicas dos gatos, aos que se atribuíram poderes sobrenaturais, são de uma agudeza excepcional em condições normais e os seus hábitos de caçador propiciaram ainda mais o desenvolvimento dos sentidos mais necessários para o felino. Respeito ao egoísmo dos gatos, muito se especulou com exemplos hipoteticamente demonstrativos da sua desafeição pelos amos, assim como em apoio da teoria contraria, que advoga pelo amor que chegam a demonstrar pelas pessoas queridas.

Na nossa opinião ambas as teorias são certas e errôneas em parte, dado que excetuando em linhas gerais aos cães, o resto de animais se adaptam a conviver com o homem sem sentir um "carinho" profundo pelo seu criador. Unicamente respondem a determinados estímulos que lhes aportam os reflexos condicionados.

A comida quotidiana, o repouso num canto tranqüilo e cômodo, a carícia lúdica, etc., se associam com um entorno determinado, com o lar do amo, e só isso. A defesa da casa, o despertar ao criador se há um escape de gás ou um incêndio respondem a impulsos primários que conduzem ao animalzinho a procurar proteção perante algo ao que não sabem enfrentar-se, e recorrem, no melhor dos casos, ao ser que na sua panorâmica é capaz de fazer aparecer comida sobre um prato vazio sem necessidade de caçá-la, ou que mantêm limpo e sem cheiros o caixote higiênico, além de aquecer a sala de estar durante as frias tardes invernais.

Em princípio é assim de simples e pouco romântico, mas o antropocentrismo humano inevitavelmente concede simpatias ou antipatias a comportamentos instintivos herdados nos animais ou adquiridos através de treinos. A sexualidade do gato pode ser o único impedimento sério para travar a intenção de cuidar um gato na nossa casa, mas atualmente a cirurgia veterinária assegura a castração indolora e sem conseqüências, que nos permite abordar a inesquecível senda da felinofilia.

O Gato e a Gata

A gata apareceu primeiro, contrariando os cânones da Criação. O gato veio porque sentiu o cheiro. A gata tem plena consciência de ser gata, parte integrante do grande ciclo da boa vida. O gato é bem mais confuso, tem dificuldades em marcar seu território, mantém a guarda de um filho com uma ex (o famoso Messias), e de vez em quando dá uma dentro. Secretamente, é o Flying Cat e produz uma série interminável chamada Safira do Faraó.

O gato (Ele): Idealista, criativo, inseguro, portador de uma bagagem cultural mais sortida que profunda. Tem todas as sonatas de Beethoven, mas já foi visto num karaokê, dando tudo de si pra impressionar a gatinha. E conseguiu.

A Gata (Ela): Não gosta de ser definida como fêmea do gato; é uma fêmea absoluta, acima das espécies e das estrelas. Curte Luiz Melodia, acredita em batman, sonha com números e aposta tudo em sexo bizzaro.